Pular para o conteúdo

O que é Black Hat SEO? Faça SEO com resultados mais rápidos

Há 10 anos, muitos acreditavam que SEO era uma tática manipulativa de marketing que se tratava de “enganar o algoritmo” e usar táticas para fazer o Google pensar que o seu site era o melhor resultado para uma busca. Hoje em dia a prática manipulativa é de fato chamdo de Black Hat SEO.

Sabemos que os profissionais de SEO sempre focam seus esforços em criar o melhor resultado na web, não apenas fazer parecer que é. Mas, temos um mundo onde o Google combate duas coisas na web Spam e Black Hat. E existe uma diferença entre Spammers e Blackhateiros.

Neste guia, será abordado o que deve ser evitado para não violar o algoritmo e as diretrizes de qualidade do Webmaster. Serão cobertos os seguintes tópicos.

O que é Black Hat SEO?

Black Hat SEO são técnicas rápidas de SEO para ranqueamento, mas violam as diretrizes dos mecanismos de busca. O Black Hat quando descoberto pelo mecanismo de pesquisa causa penalidades graves, como: ação manual, ou seja, desindexação do seu site parcial ou total. 

black hat seo

As técnicas de Black Hat tentam manipular os algoritmos dos mecanismos de busca para aumentar a classificação de um site nas SERPs.  Os mecanismos de busca, como o Google e o Bing, deixam muito claro quais tipos de práticas vão contra seus termos. Eles também são bastante claros sobre os possíveis resultados se você violar suas diretrizes.

Mas, bom profissionais que trabalham com black hat SEO nem são descobertos, porque não divulgam e não fazem a estratégia que todos fazem.

Qual a diferença black hat e spammers?

    PBN são a melhor técnica de Black Hat

    Existem diversas formas de fortalecer a autoridade de um site e melhorar seu ranqueamento nos mecanismos de busca. Uma estratégia moderna e popular é a compra de links PBN (Private Blog Network).

    Uma PBN é uma rede privada de blogs interligados, que transferem autoridade entre si, beneficiando um ou mais sites específicos. Ao inserir conteúdo com links para o seu site em blogs da PBN, parte da autoridade desses blogs é transmitida para o seu site.

    Veja como fazer uma PBN na teoria, não estamos incentivando que você crie, esse conteúdo é para fins educacionais

    Mas como isso funciona na prática? Cada site da PBN é hospedado em servidores diferentes, com endereços IP e contas distintas, dificultando a identificação da rede pelos mecanismos de busca. Para saber mais sobre a configuração de uma PBN, recomendo este tópico detalhado.

    E quanto ao conteúdo desses blogs? Existem algumas opções:

    • Contratar redatores: A opção mais recomendada, garante conteúdo original e de qualidade.
    • Reescrever conteúdo: Utilizar conteúdo existente como base, adaptando-o e corrigindo erros gramaticais com ferramentas como o Grammarly.
    • Produzir o conteúdo: Escrever você mesmo, seguindo boas práticas de SEO, como as descritas neste guia.

    Lembre-se que, embora eficaz, o uso de PBNs exige cuidado e planejamento para evitar penalizações dos mecanismos de busca. Ao analisar as Diretrizes para webmasters do Google, podemos ver claramente que sua orientação sobre os princípios básicos de SEO é:

    Evite truques destinados a melhorar as classificações nos mecanismos de pesquisa. Uma boa regra é se você se sentiria confortável explicando o que fez para um site que compete com você ou para um funcionário do Google. Outro teste útil é perguntar: “Isso ajuda meus usuários? Eu faria isso se os mecanismos de pesquisa não existissem?”

    3 Razões Para Evitar o SEO Black Hat

    Enquanto o SEO é tudo sobre aumentar a visibilidade orgânica e o tráfego de um site, as táticas de SEO Black Hat podem, na verdade, resultar no oposto disso acontecendo. Para ajudá-lo a entender por que evitar essas abordagens, nós dividimos isso em três pontos-chave…

    1. Pode Ter Um Impacto Negativo Nas Suas Classificações e Visibilidade de Pesquisa

    A principal razão para não usar táticas de SEO Black Hat é que elas acabarão resultando na perda das classificações de pesquisa, visibilidade e tráfego do seu site. Quando um site perde tráfego e visibilidade, isso geralmente significa que as conversões e a receita seguem uma tendência semelhante. Isso, por si só, pode significar uma redução na renda de um negócio e levar a perda de empregos ou até mesmo ao fechamento do negócio. Na melhor das hipóteses, uma queda acentuada no tráfego orgânico significará que isso terá que ser complementado com um investimento maior em PPC ou outras mídias pagas.

    As táticas de SEO Black Hat podem fazer com que o desempenho de um site diminua como resultado de uma ação manual ou filtragem algorítmica, ambas as quais você pode aprender mais no vídeo abaixo:

    2. Não vai gerar resultados de longo prazo

    Mesmo nos casos em que as classificações e o desempenho orgânico aumentam inicialmente a partir de técnicas manipulativas, esses raramente são sustentados.

    Embora possa levar algum tempo para o Google determinar que um site participa de abordagens antiéticas (isso pode ser que uma revisão manual foi conduzida ou que um algoritmo principal foi atualizado), uma vez que isso acontece, a perda de tráfego é inevitável.

    Talvez a única coisa pior do que lutar para classificar um site seja ver as classificações e o tráfego inflados artificialmente, apenas para cair repentinamente no futuro próximo. As empresas precisam de previsibilidade, e isso não é algo que as táticas de Black Hat possam entregar.

    3. Normalmente resulta em má experiência do usuário

    Em nosso webinar Técnico vs. UI/UX, Bastian Grimm compartilhou um comentário sobre a mudança na importância do UX para o SEO ao longo do tempo, afirmando que:

    “Uma coisa que se tornou um pouco mais óbvia é que o Google não estava necessariamente tentando classificar sites que tinham feito o melhor SEO, mas sim que entregavam uma experiência decente ou pelo menos uma experiência com a qual as pessoas estavam felizes.”

    O SEO precisa considerar a experiência do usuário em um site e trabalhar para oferecer o melhor conteúdo e a melhor UX. No entanto, as táticas de Black Hat fazem exatamente o oposto; elas otimizam para os motores de busca (pelo menos o que eles pensam que os motores de busca querem ver) em vez dos usuários. Isso, por si só, pode ser problemático.

    A confiança desempenha um grande papel no sucesso da pesquisa. Se a consideração principal for dada aos motores de busca em detrimento dos usuários, há uma boa chance de que a capacidade do site de converter seja significativamente limitada.

    Black hat pode se importar com a qualidade do conteúdo e experiência do usuário, enquanto Spammers não estão nem aí. Os Spammers podem buscar divulgar produtos/serviços, espalhar malware ou realizar golpes de phishing. Também publicam comentários irrelevantes com links para seus próprios sites.

    A motivação do Spammers é divulgar a qualquer custo um serviço ou produto na internet, já a motivação do black hat é buscar aumentar o tráfego para seus mais rápido, mas violando as diretrizes do Google. O Blackhateiro sabe que pode ser punido e por tudo a perder, mas ainda foca em levar seu site com mais qualidade porque quer converter seus clientes.

    PBN são a melhor técnica de Black Hat

    Existem diversas formas de fortalecer a autoridade de um site e melhorar seu ranqueamento nos mecanismos de busca. Uma estratégia moderna e popular é a compra de links PBN (Private Blog Network).

    Uma PBN é uma rede privada de blogs interligados, que transferem autoridade entre si, beneficiando um ou mais sites específicos. Ao inserir conteúdo com links para o seu site em blogs da PBN, parte da autoridade desses blogs é transmitida para o seu site.

    Veja como fazer uma PBN na teoria, não estamos incentivando que você crie, esse conteúdo é para fins educacionais

    Mas como isso funciona na prática? Cada site da PBN é hospedado em servidores diferentes, com endereços IP e contas distintas, dificultando a identificação da rede pelos mecanismos de busca. Para saber mais sobre a configuração de uma PBN, recomendo este tópico detalhado.

    E quanto ao conteúdo desses blogs? Existem algumas opções:

    • Contratar redatores: A opção mais recomendada, garante conteúdo original e de qualidade.
    • Reescrever conteúdo: Utilizar conteúdo existente como base, adaptando-o e corrigindo erros gramaticais com ferramentas como o Grammarly.
    • Produzir o conteúdo: Escrever você mesmo, seguindo boas práticas de SEO, como as descritas neste guia.

    Lembre-se que, embora eficaz, o uso de PBNs exige cuidado e planejamento para evitar penalizações dos mecanismos de busca. Ao analisar as Diretrizes para webmasters do Google, podemos ver claramente que sua orientação sobre os princípios básicos de SEO é:

    Evite truques destinados a melhorar as classificações nos mecanismos de pesquisa. Uma boa regra é se você se sentiria confortável explicando o que fez para um site que compete com você ou para um funcionário do Google. Outro teste útil é perguntar: “Isso ajuda meus usuários? Eu faria isso se os mecanismos de pesquisa não existissem?”

    3 Razões Para Evitar o SEO Black Hat

    Enquanto o SEO é tudo sobre aumentar a visibilidade orgânica e o tráfego de um site, as táticas de SEO Black Hat podem, na verdade, resultar no oposto disso acontecendo. Para ajudá-lo a entender por que evitar essas abordagens, nós dividimos isso em três pontos-chave…

    1. Pode Ter Um Impacto Negativo Nas Suas Classificações e Visibilidade de Pesquisa

    A principal razão para não usar táticas de SEO Black Hat é que elas acabarão resultando na perda das classificações de pesquisa, visibilidade e tráfego do seu site. Quando um site perde tráfego e visibilidade, isso geralmente significa que as conversões e a receita seguem uma tendência semelhante. Isso, por si só, pode significar uma redução na renda de um negócio e levar a perda de empregos ou até mesmo ao fechamento do negócio. Na melhor das hipóteses, uma queda acentuada no tráfego orgânico significará que isso terá que ser complementado com um investimento maior em PPC ou outras mídias pagas.

    As táticas de SEO Black Hat podem fazer com que o desempenho de um site diminua como resultado de uma ação manual ou filtragem algorítmica, ambas as quais você pode aprender mais no vídeo abaixo:

    2. Não vai gerar resultados de longo prazo

    Mesmo nos casos em que as classificações e o desempenho orgânico aumentam inicialmente a partir de técnicas manipulativas, esses raramente são sustentados.

    Embora possa levar algum tempo para o Google determinar que um site participa de abordagens antiéticas (isso pode ser que uma revisão manual foi conduzida ou que um algoritmo principal foi atualizado), uma vez que isso acontece, a perda de tráfego é inevitável.

    Talvez a única coisa pior do que lutar para classificar um site seja ver as classificações e o tráfego inflados artificialmente, apenas para cair repentinamente no futuro próximo. As empresas precisam de previsibilidade, e isso não é algo que as táticas de Black Hat possam entregar.

    3. Normalmente resulta em má experiência do usuário

    Em nosso webinar Técnico vs. UI/UX, Bastian Grimm compartilhou um comentário sobre a mudança na importância do UX para o SEO ao longo do tempo, afirmando que:

    “Uma coisa que se tornou um pouco mais óbvia é que o Google não estava necessariamente tentando classificar sites que tinham feito o melhor SEO, mas sim que entregavam uma experiência decente ou pelo menos uma experiência com a qual as pessoas estavam felizes.”

    O SEO precisa considerar a experiência do usuário em um site e trabalhar para oferecer o melhor conteúdo e a melhor UX. No entanto, as táticas de Black Hat fazem exatamente o oposto; elas otimizam para os motores de busca (pelo menos o que eles pensam que os motores de busca querem ver) em vez dos usuários. Isso, por si só, pode ser problemático.

    A confiança desempenha um grande papel no sucesso da pesquisa. Se a consideração principal for dada aos motores de busca em detrimento dos usuários, há uma boa chance de que a capacidade do site de converter seja significativamente limitada.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *